Notícias

Genotipagem dos Hormônios FSH/LH podem contribuir para o sucesso da Reprodução Humana

27/11/2017 - 10:30

O FSH (hormônio folículo-estimulante) desempenha um papel central na regulação endócrina em homens e mulheres. Esse hormônio atua através de receptores, localizados na membrana das células granulosas, comandando a maturação folicular e a produção de estrógeno. O que tem sido estudado é que cada indivíduo pode apresentar uma conformação diferente do gene, o que chamamos de polimorfismos, tais diferenças interferem diretamente na produção de FSH e consequentemente na maturação folicular e produção de estrógeno.

Quando levamos esse conhecimento para a fertilização in vitro (FIV), significa que mulheres necessitam de dosagens diferentes de FSH, dependendo do seu genótipo. Por exemplo, mulheres homozigotas (que tem os dois alelos) para o genótipo S680 precisam de doses maiores de FSH exógeno, antes do procedimento de FIV, para que ocorra uma estimulação ovariana adequada.

O genótipo do receptor FSH e LH pode variar, ou seja, o tipo de aminoácido presente se altera entre Asparigina (Asp) e Serina (Ser), em relação à posição 680 da proteína, podendo apresentar as seguintes conformações: Ser/Ser, Asp/Ser e Asp/Asp.

As variações polimórficas identificadas neste exame diagnóstico podem ter relação direta com a escolha da medicação ideal para a paciente, interferindo no resultado de tratamentos para fertilidade.

Para o polimorfismo do receptor FSH, cada genótipo responde de forma diferente às formas purificadas e recombinantes do hormônio exógeno:

∙ Genótipo Ser/Ser: Ser680Ser- responde melhor a HP-FSH (purificada ou ultrapura)
∙ Genótipo Asp/Ser: Asp680Ser- responde melhor a r-FSH (recombinante)
∙ Genótipo Asp/Asp: Asp680Asp- responde igual

A avaliação do polimorfismo combinado (FSH + LH) demonstrou que pacientes Ser/Ser para FSH e LH apresentaram 4x mais chances de engravidar, comparado com mulheres Asp/Asp para ambos. Na avaliação isolada do receptor LH, foram encontradas taxas maiores de gravidez em mulheres heterozigotas para Serina (Ser/Asp) e mulheres homozigotas para Asp/Asp, de acordo com as pesquisas de Lindegren et al (2016)

A partir de tais estudos e avaliações diagnósticas, é possível individualizar a melhor opção medicamentosa, minimizando custos, oferecendo um prognóstico mais direcionado e um resultado mais rápido.

A Pesquisa de Polimorfismo do gene no receptor de FSH/LH é um critério para orientar a escolha da melhor medicação para a estimulação ovariana, mas não garante estes resultados. Só é recomendada após uma investigação criteriosa da saúde reprodutiva da paciente.

No RDO você ainda conta com a análise combinada do polimorfismo de FSH e LH (hormônio luteinizante), que de acordo com os estudos mais recentes, quando avaliados em combinação, aumentam as chances de acerto no tratamento.
Portanto, a simples genotipagem do FSH e do LH de cada mulher, gera um tratamento personalizado com dosagens hormonais adequadas para a necessidade individual, proporcionando uma estimulação adequada.

A Genotipagem do FSH é realizada com exclusividade no laboratório RDO. Feita por profissionais especializados e técnicas de biologia molecular, gerando resultados precisos e confiáveis. No RDO você ainda conta com a análise combinada do polimorfismo de FSH e LH (hormônio luteinizante), que de acordo com os estudos mais recentes, quando avaliados em combinação, aumentam as chances de acerto no tratamento.

Referências
1-Lindgren et al. Combined assessment of polymorphisms in the LHCGR and FSHR genes predict chance of pregnancy after in vitro fertilization. Human Reproduction, 31:672-683, 2016.

2-Lindgren et al. Association between follicle-stimulating hormone receptor polymorphisms and reproductive parameters in young men from the general population. Pharmacogenetics and Genomics, 22: 667-672, 2012.