COVID-19 | SARS-CoV2: CONHEÇA OS TESTES REALIZADOS NO RDO

A Organização Mundial de Saúde (OMS) anunciou em 31/12/2019 o primeiro surto de um novo coronavírus em Wuhan, na China devido aos casos graves de pneumonia entre seus habitantes.

O coronavírus invade a célula humana por meio da interação da proteína Spike do vírus (proteína S) e do receptor ACE2 na membrana das células hospedeiras. Este receptor está presente em vários órgãos e tecidos, como baço, fígado, retina, placenta, tecido cerebral, coração, artérias coronárias, artérias, veias, tecido endotelial, macrófagos, sistema gastrointestinal, células epiteliais alveolares do pulmão.

As manifestações clínicas, até então estudadas são sintomas sistêmicos como febre e fadiga, acompanhadas de tosse seca e dispneia, etc., que podem evoluir rapidamente para pneumonia grave, insuficiência respiratória e respiração aguda, além de doenças entéricas hepáticas e neurológicas.

O coronavírus pertence à família Coronaviridae que se subdivide em:

 α (Alphacoronavirus);  

β (Betacoronavirus);  

γ (Gammacoronavirus); 

 δ ( Deltacoronavirus).

Os gêneros α e β são patogênicos para humanos e mamíferos, já o γ e o δ causa principalmente infecções em aves.  Atualmente, foram identificados e catalogados 7 tipos de coronavírus humano (HCOV) que causam doenças respiratórias: HCoV-229E; HCoV-OC43; HCoV-NL63; HCoV-HKU1; SARS-CoV; MERS-CoV (principal patógeno nas infecções respiratórias humanas) e o SARS-CoV (novo coronavírus COVID-19).

O coronavírus é transmitido, principalmente por contato direto com secreções (tosse, espirros, gotículas), lançadas ao ar por um infectado.  A contaminação pode ocorrer pela proximidade do indivíduo contaminado, que não esteja usando máscara. Essas secreções são muito pesadas para permanecerem no ar, sendo rapidamente depositadas em superfícies, daí o risco de se contaminar ao tocar esta superfície, levando em seguida, passar as mãos nos olhos, no nariz ou na boca, visto que o vírus pode sobreviver por um tempo.  Há evidências que, ainda carece de confirmação de que o vírus pode ser transmitido também pela via fecal-oral.

COVID-19 | SARS-CoV2: TESTE MOLECULAR – RT- PCR

Considerado padrão ouro para o diagnóstico do COVID-19º teste e recomendado pela OMS.

O teste é realizado por metodologia de transcrição reversa, seguida de reação em cadeia da polimerase em tempo real (RT-PCR). Este teste identifica a presença do RNA do vírus SARS-CoV-2, causador da COVID-19, em seu período ativo no organismo, confirmando a infecção.

A sensibilidade analítica do teste é 100%. Padrão ouro, pois, as sensibilidades dos outros testes são calculadas em comparação a este.

INSTRUÇÕES/PREPARO

  • Não há necessidade de preparo;
  • Amostra da região da nasofaringe – coletada por swab;
  • Coletamos em residência/empresa/escritório na cidade de S. Paulo, por agendamento.

RESULTADO/LAUDO

  • Liberado em 24 hs;
  • Amostras coletadas até 12:00 terão resultados liberados até 18:00 do mesmo dia;
  • Pode ser solicitado nos idiomas: Português, Espanhol, Inglês e Japonês;
  • Mediante senha, acesse:  https://resultados.rdo.med.br:8000/wfrmLogin.aspx

ORÇAMENTO/INFORMAÇÕES ADICIONAIS

 55 11 3065-0800, atendimento@rdo.med.br

COVID-19 | SARS-CoV2: NOVO TESTE SOROLOGICO – ANTICORPOS NEUTRALIZANTES ANTI-RBd-S1

Os Anticorpos Neutralizantes bloqueiam a ligação entre o RBD (do inglês Receptor-Binding Domain), Domínio de Ligação ao Receptor da proteína Spike e ACE2 na célula humana, conforme testes em cultura celular. Este teste qualifica a resposta imune, analisando assim, a capacidade de os mesmos bloquearem a ligação da proteína da espiga viral (spike) ao receptor a proteína ACE2.

O teste de sorologia para detecção de anticorpos anti-RBD foi desenvolvido no RDO para detecção de anticorpos contra a proteína S (Spike) do SARS-CoV-2, mais especificamente a porção RBD da proteína S1 do vírus, que é a região onde ocorre a conexão ao receptor celular ACE 2, responsável por fazer a ligação com as células do corpo humano e infectá-las.

A vantagem deste teste em relação à sorologia para anticorpos contra outras proteínas como o Nucleocapsideo (N), ou mesmo contra a proteína S completa, é que este apresenta maior sensibilidade (de acordo com testes realizados em nosso laboratório), além de apresentar maior correlação com o teste de anticorpos neutralizantes, já que a presença de anticorpos anti-RBD indica que provavelmente o indivíduo está imune contra a invasão do SARS-CoV-2. Entretanto, é necessário ressaltar que nem todos os anticorpos conferem imunidade à doença. 

O teste de anticorpos neutralizantes – anticorpos anti-RBD, proporciona:  

  • 98,7% de sensibilidade em pacientes com > 14 dias do início dos sintomas;
  • 96,5% de especificidade. 

A Concordância versus ensaio de neutralização VNT: 100%, quando utilizado o limiar de reatividade de 20% como taxa de inibição para o resultado do teste. 

O resultado/laudo é liberado em 3 (três dias úteis), é expresso em % de inibição do vírus correlacionado ao teste de neutralização viral.

Isto significa: 

  • < 20%: sem atividade de neutralização; 
  •  20%: indicativo da presença de anticorpos neutralizantes. 

Dado o resultado, é importante sempre correlacionar com o quadro clínico e outros achados laboratoriais do paciente. 

O teste de anticorpos neutralizantes – anticorpos anti-RBD é indicado nas seguintes situações:

  • Identificação da presença e de anticorpos produzidos contra o SARS-CoV-2 em pacientes que tiveram COVID-19, sintomáticos ou não;
  • Identificação da a presença de anticorpos produzidos após a vacinação para o acompanhamento da evolução sorológica; 
  • Monitoramento da resposta imunológica através do nível de anticorpos IgG, IgM e IgA presentes, após a convalescença da COVID-19 para se avaliar a duração da imunidade.

Entretanto, este teste é contraindicado para a investigação diagnóstica na fase aguda da infecção.

Este teste é de uso profissional realizado por metodologia ELISA, aprovado pela ANVISA e FDA, tendo sido validado internamento no departamento de biologia molecular do RDO.

INSTRUÇÕES/PREPARO

  • Não há necessidade de preparo;
  • Coletamos em residência/empresa/escritório na cidade de S. Paulo, por agendamento;
  •  Amostras coletadas até as 12:00 terão resultados liberados até as 18:00 do mesmo dia;

Quando coletado fora da cidade de S. Paulo/outros estados:

  • 1 tubo, 5 ml de soro (tampa amarela);
    • Centrifugar o tubo a 3.000 RPM por 10 minutos;
    • Enviar via remessa expressa/rápida (deve estar no RDO em até 2 dias) ou congelar o soro (deve estar no RDO em até 5 dias).

RESULTADO/LAUDO

ORÇAMENTO/INFORMAÇÕES ADICIONAIS

 55 11 3065-0800, atendimento@rdo.med.br

COVID-19 | SARS-CoV2: TESTE RÁPIDO – ANTICORPOS IgG e IgM

Este teste é de uso profissional (metodologia por ensaio imunocromatográfico), rápido para a detecção qualitativa de anticorpos IgG e IgM anti-COVID-19, presente em amostras de sangue total, soro ou plasma.  O teste in vitro pode ser aplicado como auxiliar no diagnóstico e triagem precoce da infecção pelo COVID-19 em pacientes com sintomas clínicos da doença. Este teste tem sensibilidade (IgG + IgM) independentemente do número de dias do início dos sintomas: 97,1%.  Já com pelo menos 7 dias de início dos sintomas, a sensibilidade (IgG + IgM) chega a 94,51%.  Com menos de 7 dias de início dos sintomas a sensibilidade (IgG + IgM), atinge 69,05%.  Entre 7 e 14 dias de início dos sintomas a sensibilidade IgG + IgM), é 89,39%. Após 14 dias de início dos sintomas a sensibilidade (IgG + IgM) é igual 96,94%. Quanto a especificidade (IgG + IgM) 98,7%.

INSTRUÇÕES/PREPARO

  • Não há necessidade de preparo;
  • Amostra coletada –  sangue periférico;
  • Coletamos em residência/empresa/escritório na cidade de S. Paulo, por agendamento;

RESULTADO/LAUDO

ORÇAMENTO/INFORMAÇÕES ADICIONAIS

 55 11 3065-0800, atendimento@rdo.med.br

COVID-19 | SARS-CoV2: TESTE SOROLÓGICO – ANTICORPOS IgG, IgM e IgA

Este teste é de uso profissional realizado por metodologia ELISA, semi-quantitativa de alta sensibilidade e especificidadeAtualmente, estes anticorpos que são sensíveis somente para a detecção de contato prévio com o vírus, mas não são específicos para neutralização do vírus.  Teste está aprovado pela ANVISA/ registrado no MS sob. No. 8095488013 em 2020 e foi validado internamento no departamento de biologia molecular do RDO.

INSTRUÇÕES/PREPARO

  • Não há necessidade de preparo;
  • Amostra coletada – sangue periférico;
  • Coletamos em residência/empresa/escritório na cidade de S. Paulo, por agendamento;

RESULTADO/LAUDO

ORÇAMENTO/INFORMAÇÕES ADICIONAIS

 55 11 3065-0800, atendimento@rdo.med.br

COVID-19 | TESTE RÁPIDO – ANTÍGENOS

Teste de uso profissional (ensaio imunocromatográfico), que pode ser utilizado para auxiliar no diagnóstico in vitro inicial da infecção por SARS-CoV-2 em pacientes com sintomas clínicos.O teste permite a detecção qualitativa de antígenos de SARS-CoV-2, com sensibilidade: 96,52% e especificidade: >99,9%.

Teste aprovado pela ANVISA, conforme registrado no MS sob. No. 80954880133 | Edição 003/2020 de 22/04/2020, validado internamento no departamento de biologia molecular do RDO.

INSTRUÇÕES/PREPARO

  • Não há necessidade de preparo;
  • Amostra da região da nasofaringe, coletada por swab;
  • Coletamos em residência/empresa/escritório na cidade de S. Paulo, por agendamento;

RESULTADO/LAUDO

ORÇAMENTO/INFORMAÇÕES ADICIONAIS  55 11 3065-0800, atendimento@rdo.med.br

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Conversar
1
Olá, tudo bem?
Você quer marcar exames?