RDO DIAGNÓSTICOS MÉDICOS
NOTÍCIAS & MÍDIA

EXAME DE FRAGMENTAÇÃO DO DNA ESPERMÁTICO POR METODOLOGIA PADRÃO OURO (CITOMETRIA DE FLUXO)

A literatura especializada, aponta que o homem é responsável por 40% da infertilidade do casal.  O insucesso gestacional muitas vezes reside na fragmentação do DNA no interior dos espermatozóides, não analisados. 

A fragmentação pode ser causada por vários fatores como: traumas na região, consumo excessivo de bebidas alcoólicas, tabagismo, consumo de algumas medicações, quimioterápicos e radioterapias, drogas ilícitas, (principalmente a cocaína). Outras causas da quebra da cromatina do espermatozóide também são atribuídas ao sedentarismo, obesidade, a exposição a poluentes nocivos, altas temperatura na região dos testículos, febre alta, processos inflamatórios, varicocele (varizes testiculares), idade avançada o calor excessivo pelo uso do laptop apoiado na região.

Exceção da idade, as exposições a muitos destes fatores podem ser transitórias, havendo uma melhora da fragmentação do DNA com o decorrer do tempo.  Entretanto, de um modo geral, os resultados são significativamente mais estáveis que as avaliações padrões no espermograma (número, mobilidade e morfologia), o que o torna o exame complementar, pois, o teste é específico para avaliar o índice de DNA fragmentado.

O teste é realizado no RDO desde 2007, por metodologia padrão ouro (citometria de fluxo) bem estabelecida e com mais de 25 anos de pesquisa, que é superior as técnicas de microscopia óptica em termos de precisão, tempo de realização, múltiplos paramento por célula, pois, avalia com acuraria espermatozoides fragmentados e imaturos em milhares de células, simultaneamente, com ausência de viés na seleção de amostras.

Postagens recentes

• O reembolso é um direito que deve ser sempre utilizado e aproveitado quando disponível em seu plano de saúde ou convenio!

• O reembolso é a melhor maneira de utilizar o seu plano:

O plano de reembolso é reconhecido por Lei como aquele em que o usuário escolhe livremente o prestador de serviço, sendo reembolsado, nos limites pactuados, do valor gasto, não sendo permitidos mecanismos de regulação assistencial de uso pela operadora de convênio/seguro.

  • Você escolhe o médico, o hospital, o laboratório independentemente da operadora de convênio/seguro para tomar alguma decisão;
  • Não há intermediários entre você e seu médico, permitindo um relacionamento mais franco;
  • Muitos imaginam que reembolso contempla apenas uma porcentagem do valor da consulta, do procedimento ou exame, mas isto não é verdade;
  • A maioria das operadoras de convênios possui uma tabela própria que fixa e determina para cada plano o valor do reembolso;
  • De acordo com a ANS, a operadora de convênio/seguro não é obrigada a anexar a respectiva tabela de reembolso nos contratos, mas é obrigada a informar pelo seu atendimento como chegou ao valor reembolsado, pois, é direito do usuário de saber (valor da chamada “prévia de reembolso”).

O direito a esta informação, é reforçado pelo Procon (art. 46 do Código de Defesa do Consumidor), que diz que o conhecimento prévio é direito do consumidor.

Assim, dependendo do valor que será cobrado, o valor reembolsado será uma porcentagem ou mesmo o valor total.  Por isso a importância de saber o valor do seu reembolso, antecipadamente, através da previa de reembolso;

  • Assim, você saberá se seu prestador está dentro do valor, ou, se será necessário complementar o valor do reembolso;
  • Você poderá também negociar dentro do valor conhecido.
  • Saiba que a diferença que não foi reembolsada pode ser deduzida/descontada do seu imposto de renda pessoa física.