FATORES QUE AUMENTAM O RISCO DE TROMBOSE DURANTE A GESTAÇÃO

A trombofilia (genética ou adquirida) é uma condição, uma tendência de hipercoagulabilidade sanguínea.

Na gravidez, a trombofilia representa um sério risco de abortos repetitivos, perdas gestacionais e riscos no desenvolvimento do bebê.

Os abortos podem ocorrer antes da 20ª. semanas de gestação. Vários são os fatores, os quais vão desde os hereditários até os hábitos diários.

O risco de trombofilia pode aumentar em casos de uso de contraceptivos hormonais orais, e cigarros, assim como excesso de peso, pois a gordura eleva o risco de trombose. Se a trombose não for identificada e tratada, há o risco de embolia pulmonar, condição grave que pode ser fatal.

Cada caso de trombofilia é tratado de um modo diferente. A partir do momento que a gravidez é confirmada, e dependendo do tipo de trombofilia, a estratégia terapêutica é diferente, o tratamento pode ser feito por medicamentos, a fim de evitar riscos para a mãe e para o bebê.

É importante ressaltar que o quadro de trombofilia nem sempre traz riscos para a gravidez, mas é necessário um acompanhamento médico para prevenir o aborto de repetição e outras complicações para o feto e a mãe.

Dr. Ricardo M. de Oliveira
Fundador – Diretor Clínico – Técnico responsável
CRM 26218

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Conversar
1
Olá, tudo bem?
Você quer marcar exames?